Ir para o conteúdo
ASA Investments

O ASA é focado em criar valor
sustentável a longo prazo.

Carrega em seu DNA a filosofia de investir com
segurança e cuidar do futuro.

Sobre o ASA

O ASA, pertence a Alberto Joseph Safra, e a casa carrega em seu DNA a filosofia de investir com segurança e cuidar do futuro. Fundado em 2019, tem como foco criar valor sustentável a longo prazo através da atuação de suas empresas nos segmentos de asset management, assim como na gestão dos investimentos e da participação de seu sócio-fundador no grupo J. Safra.

ASA investments

A ASA Investments surge como uma gestora multiestratégia operando em todas as famílias de fundos, com o foco no desenvolvimento dos melhores produtos, e trabalhando com os principais parceiros de distribuição para investimento. A ASA Investments reúne a solidez das gestoras tradicionais e o arrojo das assets modernas. A filosofia de seu controlador - de rigor na alocação dos ativos, rígidos controles internos e amplo conhecimento do mercado - gera decisões ágeis, amparadas por análises minuciosas do cenário macroeconômico produzidas por uma equipe composta por profissionais de renome no mercado financeiro. O resultado: planejamento, visão de longo prazo e retornos consistentes. Conheça nossos produtos

ASA Family Office

Unidade especializada na gestão de carteira de ativos líquidos onshore e offshore, atuando estrategicamente dentro da visão de longo prazo do ASA.

Participação no
Grupo J. Safra

O sócio-fundador do ASA, Alberto Joseph Safra, integra a tradicional família Safra e, juntamente com os seus irmãos, é acionista do Grupo J. Safra, construído por seu pai, o banqueiro Joseph Safra. o grupo, com presença internacional e reconhecidas tradição secular e solidez que remetem à sua fundação em meados do século xix, é composto por:

Banco Safra

O Banco Safra S.A. encerrou 2020 com um lucro líquido de R$ 2,1 bilhões, um patrimônio líquido de R$ 11,8 bilhões e uma carteira de ativos sob gestão de R$ 233 bilhões, sendo o 4º maior banco de controle privado do Brasil. Com atuação de banco múltiplo, oferece uma ampla linha de produtos e serviços financeiros e conta com presença nacional, em todos os segmentos de negócios, tanto para pessoas jurídicas quanto para pessoas físicas.

J. Safra Sarasin

Com presença em mais de 25 localidades na Europa, Ásia, Oriente Médio e América Latina, o J. Safra Sarasin tem foco de atuação junto a clientes do segmento de private banking. Encerrou 2020 com US$ 170,1 bilhões de ativos sob sua gestão, lucro líquido de US$ 353,8 milhões e um patrimônio líquido de US$ 4,76 bilhões.

Safra National Bank

O Safra National Bank de Nova York encerrou 2020 com US$ 25,945 bilhões de ativos sob sua gestão, lucro líquido de US$ 79,759 milhões e um patrimônio líquido de US$ 1,07 bilhões. O banco atua no segmento de private banking, provendo produtos e serviços financeiros para clientes de alta renda.

Real Estate

Os investimentos imobiliários do grupo são compostos por propriedades comerciais, residenciais, lajes corporativas, galpões logísticos e fazendas em todo o mundo, como o Madison 660, em Nova York e o icônico prédio Gherkin, de Londres.

Private Equity

A Chiquita Brands International é um dos maiores produtores mundiais de frutas, presente em 70 países, contando com 18.000 funcionários em 25 unidades ao redor do mundo. A empresa tem entre seus valores uma destacada consciência ambiental e trabalha com a certificação Rainforest Alliance, que atesta que a produção cultivada segue rigorosos padrões sociais e ambientais.

História Safra

No setor financeiro, o passado tem uma importância ímpar para determinar o presente e oferecer sólidos fundamentos para o futuro.

Pioneiros do sistema bancário moderno

No início do século XIX, em plena ebulição da Revolução Industrial, o intenso movimento comercial foi financiado por promissores banqueiros, que um dia se tornariam lendas, como os Rothschilds na Europa, os Rockfellers mais tarde na América e a família Safra no Oriente Médio. Esses banqueiros estabeleceram as bases para um sistema bancário moderno, baseado na melhoria da comunicação e na crescente demanda pelo comércio entre as cidades.

Comércio internacional
e tradição de ouro

Esse movimento provocou o surgimento de um intenso intercâmbio de mercadorias entre os portos e cidades da Europa, como Paris, Nice, Marselha, Madri, Barcelona, Nápoles, Trieste, Gênova e Veneza, com cidades mais ao Oriente, como Alexandria, Atenas, Istambul, Beirute, Damasco, Alepo, Haifa, Tel Aviv e Jerusalém. E foi nessa região do Oriente Médio que uma família judia, conhecida por uma longa tradição de dedicação a financiamentos em ouro, se notabilizou a ponto de o seu sobrenome se tornar a palavra árabe para referenciar a cor do precioso metal: Safra.

Foto Jacob Safra

Alepo e Jacob Safra

Um dos principais centros de comércio da época era Alepo, uma cidade no noroeste da Síria. Era para lá que os mercadores e mercadorias do Oriente e do Ocidente convergiam. A cidade também foi residência da família Safra, que, com sua vocação cosmopolita, financiou o comércio e trocou moedas de diversos países da Ásia, Europa e África, incluindo o “para” do Império Otomano, a “zecchini” de Veneza, bem como metais preciosos como prata e ouro. Em Alepo, Jacob Safra, o patriarca da família, era conhecido por sua excepcional habilidade de calcular mentalmente a conversão de várias moedas e os custos de financiamento de cada um de seus clientes.

Safra Frères et Cie e sua expansão

Em meados do século XIX, Jacob fundou em Alepo o Safra Frères et Cie. A instituição rapidamente ganhou fama e prestígio em todo o Oriente Médio, construindo uma sólida reputação. A forte expansão do Safra Frères levou a família a abrir filiais em Istambul, Alexandria e Beirute. Já na primeira metade do século século XX, Beirute foi escolhida para ser a sede do Banco Jacob Safra. Com a sua fundação, o patriarca dava início a uma nova geração de banqueiros de sucesso. Após a Segunda Guerra Mundial, Jacob Safra expandiu seus negócios para a Europa e, posteriormente, para a América Latina e os Estados Unidos.

Legado em construção

Com o crescimento dos negócios, seus filhos seguiram sua vocação e expertise no setor bancário, com destaque para o banqueiro Joseph Safra, que construiu o Grupo J. Safra, um império composto pelo Banco Safra e pelo Banco J. Safra Sarasin, pelo Safra National Bank, além de participação na Chiquita Brands International e investimentos em imóveis no Brasil, Estados Unidos e Europa.

Hoje, a ASA Investments é mais uma das empresas que continuam a tradição da família, mantendo os preceitos de gerações e fazendo prosperar o nome Safra.

Fonte - Baseado no texto: The Origins, Safra National Bank

Usamos dados pessoais e cookies para analisar o uso de nosso site, direcionar conteúdos e anúncios personalizados e aprimorar a sua experiência. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa política de privacidade e política de cookies.